domingo, 31 de agosto de 2014

Barcarena: Estão abertas as inscrições para o concurso Rainha do Abacaxi...


...Inscreva-se logo!

Você pode ser eleita a mulher mais bela de Barcarena. 






O Concurso Rainha do Abacaxi será realizado em 26 de setembro de 2014.




Fonte: ASCOM/PMB 

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Escutar...






..

Barcarena: Agricultura discute e reflete sobre a importância da certificação para produtos regionais


A prefeitura de Barcarena através da SEMAGRI – Secretaria Municipal de Agricultura, realiza nesta quarta-feira 27/08, em parceria com a UFPA, a Oficina do Programa Mercado Institucional de Alimentos, com Certificação da Produção Local para comercialização de Alimentos.

O Objetivo do evento é promover assessoria técnica para elaboração e gestão de projetos sociais voltados para fortalecimento e ampliação da participação da agricultura familiar e dos empreendimentos econômicos solidários (EES) no acesso ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF), ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), discutindo e refletindo sobre a importância da certificação para produtos regionais, esclarecimento sobre a produção de alimentos orgânicos e sua comercialização para a garantia as segurança alimentar e nutricional, e fortalecimento as economia local e desenvolvimento territorial rural.
O Palestrante, é o Prof. Jesus Nazareno Silva de Souza (FEA/ITEC/UFPA).

Participam do evento, representações do movimento social do campo, educadores, gestores públicos, organizações não governamentais, acadêmicos e profissionais de diversas áreas do conhecimento e demais interessados na temática.


O evento iniciou-se as 08h e segue até as 18h, no auditório do sindicato dos trabalhadores rurais de Barcarena. 




Fotos: ASCOM/PMB

Eleições 2014: A próxima Primeira-dama do Estado Daniela Barbalho, aparece, se envolve, é bem recebida e querida.


HÉLDER, GOVERNADOR - 15
ELCIONE, FEDERAL - 1515
RENATO OGAWA, ESTADUAL - 22222



HÉLDER GOVERNADOR - 15
ELCIONE, FEDERAL - 1515
RENATO OGAWA, ESTADUAL - 22222



       HÉLDER GOVERNADOR - 15
ELCIONE, FEDERAL - 1515
RENATO OGAWA, ESTADUAL - 22222



      HÉLDER GOVERNADOR - 15
ELCIONE, FEDERAL - 1515
RENATO OGAWA, ESTADUAL - 22222




     HÉLDER GOVERNADOR - 15
ELCIONE, FEDERAL - 1515
RENATO OGAWA, ESTADUAL - 22222


      
        HÉLDER GOVERNADOR - 15
ELCIONE, FEDERAL - 1515
RENATO OGAWA, ESTADUAL - 22222


      HÉLDER GOVERNADOR - 15
ELCIONE, FEDERAL - 1515
RENATO OGAWA, ESTADUAL - 22222




HÉLDER GOVERNADOR - 15
ELCIONE, FEDERAL - 1515
RENATO OGAWA, ESTADUAL - 22222





Câmara Municipal de Barcarena: Sessão Ordinária de 26 de Agosto de 2014.

Texto: Ari Soares
Fotos: Antônio Silva

Com a proposição do Vereador Junior Ogawa aprovado pelo Plenário a Sessão foi transformada em Sessão Especial, no sentido de ampliar apresentação das ações que desenvolve os diretores da APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), e das suas necessidades na sua atuação no Município de Barcarena, dentro da programação da Semana Nacional da pessoa com deficiência intelectual e múltipla.


Estiveram presentes grande parte da diretoria executiva da APAE/Barcarena, presidente José Picanço, vice Marcos Pinto e ainda o senhor Antonio Pina, Horácio Silva, Márcia Pinto, Raimundo Teixeira, Leonardo Costa, Márcia Ferreira, Maria do Socorro, os defensores Ivana Nascimento, Elionay Junior e a diretora pedagógica Hilda Caravelas.

Facultada a palavra ao Dr. Emanuel O' de Almeida Filho, presidente da Federação das APAES no Estado Pará, antes da sua fala, foi apresentado um vídeo com mensagem do Patrono Daniel, Embaixador das APAES no Brasil, que saúdo a Semana Nacional da pessoa com deficiência intelectual e múltipla. 

Na seqüência Dr. Emanuel O’ de Almeida Filho fez sua explanação das ações do movimento apaeano no Brasil que completam 60 anos no dia 11 de Dezembro deste ano.

Vereadores e a colega aniversariante Lucia Nascimento

“A partir da fundação da primeira APAE do País, que foi no Rio de Janeiro, vem colaborando com o desenvolvimento da pessoa com deficiência intelectual e múltipla a partir das suas ações nas unidades de atendimentos em todo o Brasil em 2.200 Municípios. Lembrou das conquistas das pessoas com deficiência intelectual, transformadas em políticas publicas, foram originadas do movimento apaeano: citando o exemplo do teste do pezinho, educação especial, as paraolímpicas, e outras vertentes de atendimentos que foram iniciadas pelo movimento apaiano, que é o maior movimento filantrópico de atenção a pessoa com deficiência do mundo”. Algumas das palavras Dr. Emanuel O’ de Almeida Filho. 

O presidente da APAE/Barcarena, senhor José Picanço, explicou o funcionamento da APAE em Barcarena que é participativa, que os gestores são voluntários, que doam parte do seu tempo, que não é fácil, porque a instituição não tem recursos próprios aludiu o presidente da APAE/Barcarena.

APAE/Barcarena atende 105 alunos matriculados dentro de uma pedagogia, assistência, lazer, cultura, transportes, bem estar, ensino profissionalizante, oportunidade de emprego, alimentação entre outros. O corpo docente, os pais que são as partes envolvidas no processo, a sociedade civil, e o Poder Publico, são o alicerce da APAE. 

Foi entregue um oficio aos Vereadores, que acompanhado com uma lembrança confeccionada pelos alunos da APAE, o oficio protocolou o convite para o encerramento da Semana Nacional da pessoa com deficiência intelectual e múltipla, no dia 28 de Agosto e uma solicitação de uma reunião especifica com todos os Vereadores para discutir as necessidades da APAE/Barcarena.

Os Vereadores Junior Ogawa, Vereadora Lúcia Nascimento, Rudilene Magno, Padre Carlos, Luiz Tavares, Pastor Alves Filho e Paulo Alcântara, foram na Tribuna expressando suas solidariedades ao movimento apaeano.

Presidente da Câmara Ver. Paulo Alcântara
Com definição da data da reunião entre a executiva da APAE/Barcarena e os Vereadores; para pontuar tudo aquilo que o Poder Publico Municipal, estar fazendo o que precisa fazer, para que o Poder Publico tenha uma participação efetiva nas ações da APAE/Barcarena. (a reunião foi marcada para sexta feira 29/08, ás oito horas)

O presidente encerrou a Sessão agradecendo a diretoria da APAE/Barcarena, garantiu que dentro da legalidade não medirá esforços para ajudar a instituição, assim como encaminhará todos os pleitos para o Executivo.


Antes dos trabalhos, Legislativo da Sessão Ordinária, a Vereadora Lucia Conceição Anjos do Nascimento foi homenageada, pela data de seu aniversário celebrada neste dia 26 de Agosto: recebeu cartão de felicitações e buquê de flores, acompanhadas das palavras motivadoras do Presidente Vereador Paulo Alcântara:


“Vereadora Lúcia Nascimento, são anos de lutas no Legislativo de Barcarena; Vossa Excelência merece!” 




Gabinete da Presidente da Câmara de Barcarena, 26 de Agosto de 2014.


Barcarena será palco do maior evento de dança do baixo tocantins

X - MULTIDANÇA AFRO AMAZÔNICOS 




BARCARENA-PA 

LOCAL: GINÁSIO MUNICIPAL 

DATA: 29 DE AGOSTO (Sexta-feira)

HORA: 19h



Programação:

17hs arrastão cultural saindo da praça da bíblia ate o ginásio municipal.
As 19hs: abertura oficial com o hino nacional interpretado pelo melhor guitarrista do mundo Mestre Vieira
19:10hs pronunciamento dos colaboradores do evento
19:30hs
banda hamaz
19:50hs
grupo relicário
 20:00hs
Ray Borges
20:20hs
grupo Arte e Persona
 20:30hs
Grupo coreográfico afros amazônicos
20:40hs
grupo para folclórico Afros Raizes
21:00hs
Cia Cmdc( castanhal)
21:20hs
Cia Circense Fénix( Belem)
21:40hs
grupo gaia
 21:50hs
premiação dos patrocinadores22:00hs pronunciamento sobre os grupos modernos do estado( importancia para a nossa cultura)
 22:30hs
grupo de dança Itosso
22:40hs
gupro elite
 22:50hs
b.boy Savary
 23:00hs
solo com Drica Santos
23:10hs
bailarino e coreógrafo Romário mendes
 23:30hs
grupo O Movimento
 23:40hs
extreetdance( Marabá)
00:00
Grupo Cuia Pitinga00:30hs b.boy Fera(Belém)00:40 escola de Dança Barbara Sofia 01:00 cerimônia de encerramento.

Org: Eder Jastes
Contatos: 89867612 / 92595423



"Os maiores e melhores grupos de dança do Pará, marcaram encontro no evento."

Ministro do STF reconsidera decisão sobre afastamento do desembargador João Maroja.

O ministro Gilmar Mendes reconsiderou uma decisão liminar em Mandado de Segurança (MS) 32873 e suspendeu determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que afastava do cargo o desembargador do Tribunal de Justiça do Pará (TJ-PA) João José da Silva Maroja.
De acordo com o ministro, o Processo Administrativo Disciplinar (PAD) aberto pelo CNJ já conta com mais de 140 dias sem conclusão e sem ter ao menos citado o investigado para que pudesse apresentar defesa. De acordo com a Resolução 135/2011 (artigo 14, parágrafo 9º) do próprio Conselho, o PAD tem o prazo de 140 dias para ser concluído, podendo ser prorrogado, o que não ocorreu neste caso. Além disso, o ministro lembrou que o magistrado completa 70 anos no próximo mês, atingindo a aposentadoria compulsória.
“Com efeito, não mais se justifica, na atual fase do PAD, a providência cautelar de afastamento das funções jurisdicionais. Ao contrário, a manutenção desse afastamento cautelar é que se tornaria irreversível, dada a proximidade da aposentadoria compulsória”, afirmou o relator.
Afastado de suas funções desde março deste ano, o desembargador alegou no Mandado de Segurança que não há indícios que justifiquem seu afastamento, uma vez que não teria atrapalhado as investigações no âmbito do processo administrativo e também do inquérito que tramita no Superior Tribunal de Justiça (STJ) há quatro anos. As investigações contra o magistrado foram iniciadas pelo Ministério Público Federal em razão de suposta participação sua e de seu filho em negociação de resultados de decisões no âmbito da Justiça Eleitoral.
Em abril deste ano, o ministro Gilmar Mendes havia negado a liminar por considerar que o afastamento “se baseou em um conjunto de elementos de convicção: indícios que foram explicitados, documentos colhidos pelo CNJ e, também, dados oriundos do compartilhamento de provas constantes de inquérito em trâmite no STJ”.
CM/CR
Fonte: STF

Articulação: Alunos de Barcarena receberam computadores para auxiliar na aprendizagem

Adolescentes e crianças que moram em comunidades rurais e ribeirinhas e que estão matriculados nas escolas municipais de Barcarena, na região do Baixo-Tocantins, receberam computadores notebooks para utilizar em sala de aula ou realizar os chamados ‘dever de casa’. 

“Os notebooks vão ajudar na nossa aprendizagem”, disse o aluno Vitor Costa, que considerou a entrega dos computadores uma conquista para as escolas. 

Os equipamentos foram entregues na última sexta-feira (22), para 400 estudantes de 20 escolas do campo. O professor Gregório do Espírito Santo, um dos educadores que atua na zona rural de Barcarena, comemorou o investimento. “O campo está sendo olhado com mais carinho”, disse ele. 

Além dos computadores, as escolas receberam novas cadeiras e transporte para os alunos.

A Secretaria Municipal de Educação (Semed), por meio da parceira com o governo federal, adquiriu oito lanchas para agilizar o transporte de estudantes pelos rios do município. 





Seis embarcações já foram entregues pelo prefeito Antônio Carlos Vilaça e outras duas vão chegar a cidade nos próximos dias. Durante a cerimônia de entrega dos equipamentos no ginásio de esportes de Barcarena, a secretária da Semed, Ivana Ramos, informou que o município está disponibilizando também mais de três mil carteiras novas para os alunos e mesas para os professores. 



“Estamos nos esforçando para melhorar a qualidade da educação”, afirmou Ivana, ao dizer ainda que a prefeitura iniciou o processo de reforma de pelo menos 25 escolas da cidade. Os trabalhos em algumas unidades já começaram.

Fotos: Ascom/PMB

Marina venceria Dilma no segundo turno, diz Ibope

Marina Silva (PSB) já tem 29% das intenções de voto na disputa presidencial, segundo pesquisa do Ibope divulgada nesta terça-feira (26). Dilma Rousseff (PT) continua na liderança no primeiro turno, com 34%, mas perde para Marina na segunda rodada de votação. Aécio Neves (PSDB) aparece em terceiro lugar, com 19%. No segundo turno, se a eleição fosse hoje, Marina teria 45% dos votos e Dilma, 36%.

A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Com isso, não há empate técnico entre Marina e Dilma no primeiro turno porque a primeira poderia ter no máximo 31% e a a petista, no mínimo, 32%.

Como Marina era candidata a vice na chapa encabeçada por Eduardo Campos, morto no último dia 13, a única comparação possível é com o cabeça da chapa. Na pesquisa anterior do instituto, fechada em 8 de agosto, Eduardo tinha 9%. Vinte pontos percentuais a menos do que Marina exibe agora, 18 dias depois.

De acordo com o levantamento, o Pastor Everaldo (PSC) e Luciana Genro (Psol) têm, cada um, 1%. Juntos, os outros seis candidatos somaram 1%. Dos eleitores entrevistados, 7% pretendem votar nulo ou em branco e outros 8% estão indecisos.


Segundo turno

Na simulação do segundo turno, Marina venceria Dilma, com 45% contra 36% da petista. Contra Aécio, Dilma levaria a melhor. Teria 41%, e ele 35%.

Dos três, a candidata do PSB tem a menor taxa de rejeição: 10%. Já Dilma é rejeitada por 36% dos eleitores entrevistados e o tucano, por 18%. A taxa da petista é a mais alta entre os 11 candidatos a presidente.

O Ibope ouviu 2.506 eleitores entre os dias 23 e 26 de agosto em 175 municípios. A pesquisa, registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00428/ 2014, foi encomendada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela TV Globo. O nível de confiança é de 95%.

Essa é a primeira pesquisa do instituto com o nome de Marina, lançada candidata pelo PSB após a morte do ex-governador Eduardo Campos. Pesquisa Datafolha divulgada semana passada apontou liderança de Dilma e empate técnico entre Marina (21%) e Aécio (20%). Na simulação do segundo turno, a candidata do PSB aparecia com 47% das intenções ante 43% da petista.

O Ibope também ouviu as pessoas sobre a administração de Dilma Rousseff. Para 34%, a gestão é ótima ou boa.  Os que consideram ruim ou péssima somam 29% e os que consideram regular, 36%.


Sexo com menor de 14 anos é crime, mesmo com consentimento, decide STJ

Fazer sexo com pessoa com menos de 14 anos é crime, mesmo que haja consentimento. Por isso, um padrasto que manteve relações sexuais com sua enteada de 13 anos foi condenado pelo Superior Tribunal de Justiça. O homem havia sido absolvido em 1ª e 2ª instâncias.
Ao condenar o réu, a 6ª Turma do STJ entendeu que a presunção de violência nos crimes de estupro e atentado violento ao pudor contra menores de 14 anos tem caráter absoluto, de acordo com a redação do Código Penal vigente até 2009. De acordo com esse entendimento, o limite de idade é um critério objetivo "para se verificar a ausência de condições de anuir com o ato sexual".
A partir da Lei 12.015/09, que modificou o Código Penal em relação aos crimes sexuais, o estupro (sexo vaginal mediante violência ou ameaça) e o atentado violento ao pudor (outras práticas sexuais) foram fundidos em um só tipo, o crime de estupro. Também desapareceu a figura da violência presumida, e todo ato sexual com pessoas com menos de 14 anos passou a configurar estupro de vulnerável.

Histórico
Denunciado por sua companheira, o réu foi absolvido em 2009 pelo juízo de primeiro grau do Tribunal de Justiça de São Paulo. Para a magistrada, a menor não foi vítima de violência presumida, pois “se mostrou determinada para consumar o coito anal com o padrasto. O que fez foi de livre e espontânea vontade, sem coação, ameaça, violência ou temor. Mais: a moça quis repetir e assim o fez”.

O TJ-SP manteve a absolvição pelos mesmos fundamentos. Conforme o acórdão, a vítima narrou que manteve relacionamento íntimo com o padrasto por diversas vezes, sempre de forma consentida, pois gostava dele. A maioria dos desembargadores considerou que o consentimento da menor, ainda que influenciado pelo desenvolvimento da sociedade e dos costumes, justificava a manutenção da absolvição.
Para o ministro do STJ, Rogério Schietti, é frágil a alusão ao “desenvolvimento da sociedade e dos costumes” como razão para relativizar a presunção legal de violência prevista na antiga redação do Código Penal. O “caminho da modernidade”, disse Schietti, é o oposto do que foi decidido pela Justiça paulista.
“De um estado ausente e de um Direito Penal indiferente à proteção da dignidade sexual de crianças e adolescentes, evoluímos paulatinamente para uma política social e criminal de redobrada preocupação com o saudável crescimento físico, mental e afetivo do componente infanto-juvenil de nossa população”, afirmou o ministro.
Ele também considerou “anacrônico” o discurso que tenta contrapor a evolução dos costumes e a disseminação mais fácil de informações à “natural tendência civilizatória” de proteger crianças e adolescentes, e que acaba por “expor pessoas ainda imaturas, em menor ou maior grau, a todo e qualquer tipo de iniciação sexual precoce”.
A 6ª Turma deu provimento ao recurso para condenar o padrasto pela prática do crime de atentado violento ao pudor, cometido antes da Lei 12.015. O processo foi remetido ao TJ-SP para a fixação da pena. Com informações da Secretaria de Comunicação Social do STJ.

Fonte: Conjur.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Entrevista sobre o CÂNCER DE ESTÔMAGO.

Rafael Possik, médico gastroenterologista e cirurgião, e integrante do corpo médico do Hospital Sírio-Libanês de São Paulo (SP), é o entrevistado do Dr. Drauzio Varella sobre o assunto.


O esôfago é um tubo longo que desce pelo tórax na frente da coluna vertebral e vai desembocar no estômago, numa região chamada cárdia ou junção gastroesofágica. Com formato semelhante ao da letra J, a volta maior do estômago é  denominada grande curvatura e a menor, pequena curvatura.


O estômago pode ser dividido em três partes: fundo gástrico (parte superior junto à entrada do esôfago), corpo (parte intermediária e principal) e antro onde se localiza o piloro, ou esfíncter pilórico, na junção com o duodeno. Na (imagem 1), podem ser vistos ainda o fígado, glândula com inúmeras funções metabólicas, e a vesícula biliar que armazena a bile secretada pelo fígado.

Se afastarmos o estômago, (imagem 2) por trás dele, aparecem o pâncreas, glândula que produz  enzimas digestivas e insulina, o baço e novamente o fígado e a vesícula biliar. Em contato com o estômago, está a porção transversa do intestino grosso que forma um ângulo e desce para desembocar no reto e no ânus.

Visto por dentro, (imagem 3), o estômago é revestido pela mucosa gástrica, uma camada de tecido todo pregueado. É na mucosa gástrica que aparece a grande maioria dos tumores de estômago. À medida que crescem, eles penetram nas paredes estomacais e podem disseminar-se por outras estruturas – gânglios, ínguas ou linfonodos – situadas ao longo da pequena e da grande curvatura, o que agrava a situação.

Desde que diagnosticado precocemente, o câncer de estômago tem bom prognóstico e muitos são os casos de cura.



FATORES DE RISCO

Drauzio – Quais são os fatores que predispõem ao aparecimento do câncer de estômago?

Rafael Possik – É preciso considerar que o câncer de estômago pode acometer indivíduos jovens, com menos de quarenta anos, e indivíduos mais maduros (acima dos quarenta anos). Nos mais jovens, a doença não está correlacionada a fatores ambientais e à dieta, mas a fatores genéticos predisponentes. Nos mais velhos, pesam os fatores ambientais, a dieta especialmente, e a presença da bactéria Helicobacter pylori,i que tem muita importância no aparecimento do câncer de estômago.

Drauzio – Você insistiu na dieta. Há algum tipo de alimento que facilita o aparecimento de câncer de estômago?

Rafael Possik - Existem estudos, embora não categóricos, a respeito de alimentos que podem agredir a mucosa gástrica. O que se sabe é que entre eles estão os alimentos conservados de forma inadequada e a carne salgada. Esta especialmente, sob o efeito de bactérias, produz aminas, substâncias que se transformam em cancerígenas com o passar do tempo.

No entanto, existem também alguns fatores de proteção, por exemplo, frutas ácidas, verduras e o leite.


HELICOBACTER PYLORII

Drauzio – O suco gástrico é tão ácido que, quando escapa do estômago, provoca sensação  de queimação. Mesmo assim, a bactéria Helicobacter pylorii é capaz de sobreviver nesse meio ácido e acomete 50%, 60% da população. Qual é a relação entre essa bactéria e o câncer de estômago, uma vez que a incidência de tumores gástricos é proporcionalmente muito mais baixa?

Rafael Possik – Existem algumas alterações focais na mucosa do estômago chamadas de metaplasias, que se caracterizam por menor produção de ácido e que favorecem a instalação e o crescimento dessa bactéria, embora nem sempre sua presença seja fator agressivo e predisponente para o câncer de estômago.

É importante destacar que o grau de acidez do suco gástrico nos protege contra a ação de algumas outras bactérias que possamos ingerir. No entanto, às vezes, por causa das crises frequentes de azia, o indivíduo recorre aos antiácidos, ou seja, aos bloqueadores da produção de ácido por tempo prolongado. Isso é perigoso, porque favorece a instalação de bactérias que irão agredir ou o estômago ou outros órgãos do organismo. Portanto, o tratamento com antiácidos ou bloqueadores de ácido não deve ser contínuo. Deve ser feito pelo tempo estabelecido pelo médico.

Drauzio – Quer dizer que o Helicobacter pylorii se aproveita das metaplasias para instalar-se e reproduzir-se com mais facilidade?

 Rafael Possik – Exatamente. Depois que se instala, o Helicobacter pylorii provoca alterações na mucosa do estômago que lenta e progressivamente podem gerar a transformação carcinomatosa.

Drauzio – Uma coisa curiosa é que a presença de Helicobacter pylorii  no estômago pode ser descoberta acidentalmente, quando a pessoa faz uma endoscopia. Qual é o conceito moderno que orienta o tratamento nesses casos?

Rafael Possik – Não existe consenso. Pessoalmente, adoto a seguinte conduta: se a pessoa fez endoscopia por causa de alguma queixa específica, trato a alteração que provocou a queixa, geralmente uma gastrite, e o Helicobater pylorii.


ENDOSCOPIA DIGESTIVA

Drauzio – No passado, quando não havia endoscopia, o diagnóstico de câncer gástrico era feito quase sempre na fase avançada da doença. Qual o impacto desse exame no diagnóstico do câncer de estômago?

Rafael Possik – Não há dúvida de que a endoscopia facilitou muito o diagnóstico, principalmente na fase inicial da doença. Entretanto, apesar de terem surgido endoscopia, raios X,  ultrassom e tomografia, ainda acho que o mais importante é conversar com o doente. Nessa conversa, é possível levantar algumas características dos sintomas que podem sugerir onde está localizada a lesão. Por exemplo, se a dor aparece quando a pessoa se alimenta, é sinal indicativo de lesão no estômago. Ao contrário, se passa com a alimentação, sugere lesão duodenal.

O câncer gástrico segue esse mesmo padrão de dor. No entanto, é raro o paciente com úlcera no duodeno ter câncer gástrico, principalmente por causa da hipercloridremia, ou seja, o aumento de ácido clorídrico atua como fator de proteção.

Drauzio – Vamos repetir esse conceito. Dor que obedece ao ritmo dói-come-passa, em geral, é duodenal e não tem relação com o câncer gástrico. Já o ritmo come-dói indica dor gástrica que pode estar ligada ao câncer de estômago, embora possa ser provocada por outras enfermidades que não o tumor de estômago.

Rafael Possik – Exatamente. A dor que aparece quando a pessoa se alimenta só indica alterações gástricas e não quer dizer que haja um câncer no estômago.

Drauzio – Voltando ao impacto que a endoscopia provocou nos casos de câncer gástrico, você poderia especificar qual foi o mais importante?

Rafael Possik – Acho que a maior conquista que a endoscopia proporcionou foi o diagnóstico em fase inicial da doença. Atualmente, embora seja raro esse tipo de intervenção, lesão muito pequena (menor do que 2cm) e bem definida, se não for um tumor agressivo, pode até ser tratada por via endoscópica.

A  endoscopia é um exame fundamental, porque além de auxiliar no diagnóstico precoce, permite determinar o tipo histológico da lesão o que torna possível adequar melhor o tratamento e a conduta antes e depois da cirurgia, uma vez que nem todos os cânceres de estômago são iguais, têm a mesmas características.

De qualquer modo, o grande impacto da endoscopia ocorreu mesmo nos casos iniciais, pois acima de 90% dos pacientes alcançam mais de cinco anos de sobrevida quando o diagnóstico é precoce. Nos casos avançados, os resultados continuam praticamente os mesmos de 30 anos atrás.

Drauzio – Antes, os endoscópios eram rígidos e o exame feito com o paciente acordado. Hoje, a endoscopia evolui muito, mas ainda permanece o medo de fazer o exame. Há motivo para isso?

Rafael Possik – Não há. A endoscopia é um exame praticamente inócuo, feito com o paciente sedado. A biópsia não dói e ele não sente absolutamente nada. É importante não se recusar a fazer a endoscopia, porque a chance de cura sobe para perto de 100%, quando o diagnóstico de câncer de estômago é precoce.


EXPERIÊNCIA JAPONESA

Drauzio – A maior experiência com câncer de estômago do mundo é a dos japoneses. Como eles enfrentam o problema?

Rafael Possik – Por causa da alta frequência de câncer de estômago que há no Japão, a detecção da doença é feita em massa. Um ônibus equipado para o exame é enviado para tirar radiografia do estômago das pessoas de determinada área e, se houver qualquer dúvida ou suspeita, o portador é encaminhado para a endoscopia.

Com isso, os japoneses conseguiram que mais de 50%, 60% dos tumores de estômago fossem diagnosticados na fase inicial, quando o índice de cura é superior a 90%. Nos casos mais avançados da doença, porém, os resultados são muito próximos aos nossos.

Drauzio – A incidência de câncer gástrico no Japão é muito alta. O curioso é que o número de casos cai nos japoneses que emigraram para os Estados Unidos, por exemplo, mas ainda permanece maior do que na população americana. Isso sugere que haja realmente um fator genético associado ao câncer de estômago entre os japoneses, mas que a dieta também influi. Qual a relação entre o aparecimento desses tumores e a dieta japonesa que muitos consideram saudável?

Rafael Possik – Parece que os molhos usados nos alimentos atuam como fator irritativo local que, somado à predisposição genética dos japoneses, favoreceria o surgimento e o desenvolvimento do câncer gástrico. Mas esse não é o único agravante. Saquê, fumo, alimentos defumados e muito salgados, como os picles, também são fatores predisponentes que não podem ser desconsiderados.

É lógico que nem todos os japoneses que ingerem peixe salgado vão ter câncer de estômago, mas aqueles que associarem o fator agressivo ao fator predisponente correrão risco maior de contrair a doença.

Drauzio – O irônico é que no Japão, comendo peixe cru, arroz e vegetais, as pessoas têm mais câncer gástrico. Quando emigram para os Estados Unidos e passam a comer fast food, têm menos câncer de estômago, mas morrem mais por problemas cardíacos.

Rafael Possik – Fato semelhante ocorre com as mulheres no Japão. Nelas, a menor incidência de câncer de mama é atribuída aos hábitos alimentares das japonesas.


TRATAMENTO

Drauzio – O endoscópio permite tirar um fragmento da lesão, fazer o exame microscópico e chegar ao diagnóstico. Uma vez diagnosticado o câncer de estômago, o que se deve fazer?


Rafael Possik – Primeiro, é preciso determinar o tamanho e a localização do tumor e estabelecer o estadiamento, ou seja, se ele está ou não circunscrito no estômago. Se ultrapassou os limites desse órgão, a primeira metástase aparece nos gânglios, ou ínguas, que se situam em volta do estômago, do lado da pequena curvatura (lado direito) ou do lado da grande curvatura (lado esquerdo). A seguir, o tumor pode espalhar-se pelas cadeias ganglionares próximas, ou entrar na corrente sanguínea e atingir o fígado e outros órgãos.

Quanto mais precoce o diagnóstico, maior a chance de a lesão ser superficial e ter atingido somente a mucosa e a submucosa, o que aumenta a probabilidade de cura para perto de 100%.

Drauzio – Quanto mais cresce o tumor, mais se aprofunda na parede do estômago, mais se espalha pelos gânglios em volta e, eventualmente, atinge os órgãos que estão próximos. E o tratamento?

Rafael Possik – O tratamento é preferencialmente cirúrgico. Se a lesão está situada na parte distal do estômago, ou seja, no antrogástrico, retira-se quase o órgão inteiro, um segmento do duodeno e os gânglios com a finalidade de estadiamento e tratamento. Deixa-se só o fundo gástrico (parte proximal do estômago, perto do esôfago), porque o corpo do estômago (parte medial) também é retirado.

O mais importante, porém, é saber se esses gânglios, os linfonodos, estão comprometidos porque hoje podemos contar com drogas menos tóxicas que conseguem melhorar a sobrevida dos pacientes mesmo quando a doença está nos estágios mais avançados, com comprometimento ganglionar, desde que as metástases tenham sido retiradas.

Drauzio – Quando o tumor se localiza no antrogástrico, ou seja, na parte inferior do estômago, é possível conservar um fragmento do órgão. Quando fica na parte alta, porém, é preciso retirar o estômago inteiro?

Rafael Possik - Eu prefiro retirar todo o estômago, embora se possa retirar somente a parte proximal onde está o tumor. Por paradoxal que possa parecer, a qualidade  de vida do paciente não é tão boa quando, nesse caso, retira-se apenas uma parte do estômago e, em câncer, é preciso levá-la em conta e não apenas se preocupar com o tumor.

Hoje em dia, os índices de sobrevida são bem mais altos. Se o indivíduo vai viver cinco, dez, quinze anos depois da cirurgia é preciso que viva bem. Às vezes, apresenta problemas decorrentes da agressão cirúrgica – retirar um órgão é sempre uma agressão – e é obrigado a tomar alguns cuidados, mas consegue levar vida normal, alimenta-se bem apesar de não ter estômago e a qualidade nutricional da alimentação é quase normal.

Drauzio – Para os leigos, fica difícil entender como a pessoa pode viver sem o estômago.

Rafael Possik – A natureza é sábia. Quando se retira o estômago, interpõe-se um segmento do intestino entre o esôfago e o jejuno. O alimento que cai nesse local passa pelo duodeno ou vai direto para o intestino. Uma radiografia tirada dois anos depois da cirurgia mostra que esse segmento está um pouquinho mais dilatado, formando aquilo que poderíamos chamar de um pseudo-estômago.

Drauzio – Que cuidados deve tomar um paciente que tenha feito essa cirurgia?

Rafael Possik – O paciente precisa ser orientado a mastigar bem os alimentos para preparar o bolo alimentar, porque a digestão começa na boca. Além disso, deve fracionar as refeições, evitar alimentos irritantes e selecionar os que pode comer. Doces concentrados, como goiabada e marmelada, se caírem direto no intestino, chamam líquido para a luz intestinal, o que provoca mal-estar intenso, como se tivesse ocorrido uma queda brusca de pressão. Respeitadas essas recomendações, o paciente leva vida praticamente normal e não costuma ter alterações nos hábitos intestinais.

Drauzio – A bebida alcoólica está proibida?

Rafael Possik – Não proíbo bebida alcoólica no pós-operatório. O paciente pode beber moderadamente vinho ou destilados bem diluídos. Em geral, a cerveja não cai bem e não é por causa do álcool, mas porque tem muito gás. Não estou defendendo o uso de álcool, mas tenho que admitir que, ingerido com parcimônia, ajuda o paciente a relaxar um pouco.

Drauzio – Quanto tempo dura esse período de adaptação depois da cirurgia?

Rafael Possik – No pós-operatório imediato, o paciente fica de três a sete dias sem receber alimentação por boca. No começo a dieta é rigorosa, mas depois a própria pessoa vai selecionando os alimentos que tolera melhor. Em geral, passado um ano, ela está comendo normalmente, quase sem restrições. É claro que alguns alimentos (comida gordurosa e frituras) são mais difíceis de digerir  e fazem mal para  tanto para quem tem como para quem não tem estômago.


ORIENTAÇÕES

Drauzio – O que devo fazer para cuidar bem do meu estômago?

Rafael Possik – Falar é sempre fácil, mas para cuidar bem do estômago a pessoa deve evitar o fumo e não deve comer alimentos mal conservados, muito condimentados nem muito salgados. Parece que a geladeira é um aliado na prevenção do câncer de estômago.

Além disso, a pessoa deve fracionar as refeições, ou seja, comer a cada três ou quatro horas, mastigar bem os alimentos e não tomar antiácidos sem prescrição médica e por tempo indeterminado.

Outra medida importante é investigar sempre as causas da dor de estômago, especialmente  se aparecer após a alimentação. Na maioria das vezes, não é câncer gástrico, mas sempre vale a pena investigar.

Drauzio – Pimenta faz mal para o estômago?

Rafael Possik – Existem trabalhos experimentais mostrando que pimenta não faz mal nenhum, contudo, na clínica é comum encontrar indivíduos que dizem que a pimenta piora a sensação de dor.

Provavelmente, a pimenta provoca vasoconstrição o que diminui a  irrigação da mucosa  e, consequentemente, a dor aparece, mas nada está comprovado a esse respeito.