quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Carnaval: Cerveró ameaça processar quem fabricar máscaras com seu rosto

O ex-diretor da área internacional da Petrobras Néstor Cerveró não está para festa. 
Um dos presos da Operação Lava Jato, ele ameaça com processos judiciais quem produzir ou comercializar máscaras de carnaval reproduzindo seu rosto. 
Em fenômeno parecido com o que houve no julgamento do mensalão, em 2012, quando a máscara do então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa foi recordista de vendas, o agora denominado caso do “petrolão”, esquema de corrupção há anos instalado na estatal, gerou uma demanda pela galhofa com Cerveró por parte do folião.

A poucos dias do carnaval, a defesa de Cerveró já age para impedir a folia com seu cliente. Um dos advogados da equipe, Edson Ribeiro, avisa que processará quem insistir na brincadeira. “Você tem o direito à imagem, tem o dano moral. Se alguém fizer [máscaras], vou localizar quem fez”, alertou Ribeiro, segundo o jornal O Globo. Um membro da equipe, informa o jornal, já contatou a maior fábrica desse tipo de artigo de carnaval no Rio de Janeiro – a Condal, em São Gonçalo – para anunciar a intenção de processá-la.

Temendo uma eventual condenação judicial, a Condal desistiu de fazer máscaras inspiradas em Cerveró. Além da proximidade com os festejos, em 17 de fevereiro, os pedidos não foram tão numerosos quanto aqueles do carnaval de 2013, cujo protagonista era Joaquim Barbosa. “Como estamos mal de tempo, e seria uma complicação, acho melhor não entrar nessa”, disse ao jornal a dona da empresa, Olga Valle. Ela jamais foi processada por qualquer das inúmeras figuras públicas que viram seu rosto servir de molde para máscaras.

Olga teme que algum juiz dê razão a Cerveró, que tem defeito de formação genética no olho esquerdo, e imponha um prejuízo financeiro à fábrica, por meio de indenização. Assim, optou por produzir outra personagem constantemente no noticiário devido à Lava Jato: a presidente da Petrobras, Graça Foster, a sisuda funcionária de carreira que tem sido mantida à frente da petrolífera por vontade da presidenta Dilma Rousseff.

Mas o veto às máscaras não deve impedir que Cerveró seja alvo da irreverência na algazarra anual – no território anárquico da internet, aliás, memes zoando Cerveró têm se multiplicado, alguns deles associando o calor do Rio de Janeiro ao “derretimento” do rosto do ex-diretor. Como lembra ainda O Globo, um dos inúmeros blocos do carnaval carioca, o “Lima É Tio Meu”, vai promover desfile na Lapa, bairro boêmio do Rio, com samba justamente sobre o petrolão. 
Um dos versos diz: “Lindo, lindo, lindo” / É o Cerveró / Por favor, seja bem-vindo / A casa é sua: o xilindró”.