sábado, 30 de novembro de 2013

Dr. Jânio Siqueira: E "UM DESABAFO CONTRA UMA ACUSAÇÃO INJUSTA!!!"




> As palavras a seguir foram postadas na integra pelo exímio Advogado Dr. Jânio Siqueira em sua página de Facebook, e trata-se de seu desabafo contra uma representação de um juiz federal contra o Advogado, representação esta que foi arquivada por unanimidade.

> Com isso desabafou o Advogado "Acusado":

      "Penso, com toda humildade, que não deve ser advogado quem não tem a coragem de enfrentar a liça, disputando palmo a palmo o terreno do direito, e vendendo muito caro a injustiça que lhe for infligida. Imbuído desse espírito enfrentei, ontem, o TRIBUNAL DE ÉTICA E DISCIPLINA da minha Instituição. Isto mesmo: assim, de cabeça erguida. Com ânimo de luta e a indignação própria do injustiçado.

Foto Arquivo

A acusação ???

Uma ‘representação’ graciosa de um determinado JUIZ, que dizia na sua ‘intriga’ (com a falsidade ‘elegante’ dos dissimulados !!) que ‘estive embaraçando o bom andamento da Justiça, por deixar de apresentar as razões recursais no prazo legal’.

Ora, ora...esqueceu-se aquele Magistrado (talvez de propósito, por pura maldade...!!) que qualquer Recurso contra a Pronúncia o prazo só fluirá a partir da ‘intimação’ formal do Acusado. O que não havia ocorrido naquele Processo.

Na verdade, penso que com esse gesto aquele Juiz arrancou a ‘venda de Têmis’, irritando Zeus, e dando razão ao personagem de Anatole France, para quem “ A Justiça é a sanção das injustiças estabelecidas”.

Certamente para aquele Magistrado a tarefa judiciária limita-se a um exercício mecânico de produção de ‘julgados’.

Pobre cultura jurídica desse Juiz. Para Ele, o meu solene desprezo. Para comigo, certamente Ele guarda uma certa ‘prevenção de alma’, própria dos ‘pobres de espírito’.

A insossa ‘representação’ foi ARQUIVADA pela UNANIMIDADE dos dignos Conselheiros.
E fiz minha própria defesa, com fé e com fervor. E, num surto de eloquência e indignação, demonstrei o ‘abuso de direito’ praticado maldosamente, diabolicamente, pelo Magistrado ‘encrenqueiro’.

Aliás, aqui invoco CALAMANDREI quando dizia que “O Juiz possui, na verdade, como o mago da fábula, o poder sobre-humano de fazer no mundo do direito as mais monstruosas metamorfoses, e de dar às sombras as aparências eternas da verdade”.
De fato: eis aqui uma triste e dolorosa verdade!!

Mas para esse JUIZ sempre será inútil a sábia advertência de VOLTAIRE: “A honra dos Juízes consiste, como a dos outros homens, em reparar suas faltas”.

Pois certamente sua insensibilidade lhe cega a própria alma.

E, para não cometer injustiça, registro que levei para o bom combate o meu velho companheiro de lutas, o combativo e intrépido advogado Edilson Santiago.


Mas este ficou na privilegiada condição de ‘diretor de cena’: o ator inexperiente contracenou sozinho, rebelde, discursando para uma plateia inteligente, representada por cinco Julgadores dignos e independentes...!!!"

Desabafou Jânio Siqueira.

Nenhum comentário: